Leacir Reis: guerreiro do samba em destaque

LEACIR DOS SANTOS REIS, O “LÉO BATUCADA” (FOTO: NILSON BAPTISTA)


Por esses dias tivemos uma proveitosa conversa com Leacir dos Santos Reis – conhecido no meio do samba como “Léo Batucada” – e a reproduzimos aqui, para apreciação de nossos leitores.
Como é do conhecimento de muitos, nosso amigo Leacir, é ligado desde a infância ao Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Caxangá. Lembramos que a “Unidos do Caxangá” foi a única escola de samba da cidade que se dispôs a se apresentar na passarela este ano. Por esse motivo destacamos seu trabalho em prol do carnaval são-joanense, uma importante  manifestação cultural, acessível a todos os públicos, que não pode deixar de existir no município, dada à sua grandeza e brilho.
Enredo e Samba Enredo da “Caxangá” para 2018
 O título do Enredo é “O Céu, a Terra , o Mar e a Luz que ilumina o Caxangá”. Leacir nos fala sobre o samba, inicialmente produzido para o desfile de 2017, que acabou não acontecendo: “fiquei tão chateado que paralisei tudo…Aí entrou Natal, Ano Novo e voltei a mexer no samba.Já que o carnaval foi confirmado para 2018. Eu peguei essa parte que era assim: “Do universo em vim, para o universo eu vou. A grande luz da criação…”. Aí, pesquisando Física Quântica, vi que nós somos energia condensada e é tudo que resplandece, é divino, é energia materializada. Aí eu coloquei essa parte “resplandece a luz da criação”, que é Deus.”
Letra do Samba Enredo
Autoria: Leacir dos Santos Reis (Léo Batucada) e Max Roger
Intérprete: Max Roger
Vamos viajar,
Nas asas da imaginação
No Céu, Terra e Mar
Na Luz que ilumina o Caxangá
Céu, lindo Céu
Estrelas em noite de luar
No horizonte o Astro Rei vem clarear
Do universo eu vim,
Para o universo eu vou                      BIS
Resplandece a Luz da Criação
Sou energia que materializou
Pela terra
Encantos da Divina Criação
Matas verdejantes
Diversidade de animais
Rios, sonoras cachoeiras
Montanhas e mananciais
O misterioso Mar
Netuno, sereias a cantar
No balanço das ondas prateadas
Vamos navegar
Chegou, a alegria chegou
Vestindo o manto da inspiração
Contagiando a todos com amor
É a Vermelho e Branco, bate forte o coração.

Presidente: Max Roger Rodrigues de Oliveira;
Vice: Sérgio de Souza (Índio);
Diretor de Bateria: Lincoln Rodrigues;
Diretores da Comissão de Carnaval: Ariovaldo Abraão (Ariri),Rita Barbosa, Thaís e Ziza Frederico.

Sobre sambas de outros carnavais
Leacir é quem nos fala: “lembro-me de um dos sambas que foi apresentado na primeira vez em que os desfiles foram realizados em local diferente da Rua Cel. José Dutra : sentido Praça Dr.Carlos Alves/Policlínica, lado de cima da Praça Barão do Rio Branco. Parte da letra era assim; “Cadê, cadê, cadê, o julgamento que o sambista sonha ter”. Era porque na época não havia concurso, nós queríamos o julgamento para organizar melhor os desfiles e fizemos essa cobrança aos administradores da cidade”.
Como a Escola começou
IMAGEM ILUSTRATIVA EXTRAÍDA DO WHATSAPP DE LEACIR REIS
“Léo Batucada” nos diz: “o cabeça da história foi meu irmão “Dico”. Ele saía numa agremiação criada por um padeiro conhecido como “Tininho” e que se chamava Escola de Samba São-joanense. “Dico” tocava nessa escola um instrumento chamado contra-surdo. Quando essa escola deixou de existir meu irmão teve a iniciativa de criar,no dia do seu aniversário, 25 de junho de 1962, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Caxangá. Quem redigiu e registrou o Estatuto da nossa agremiação foi o saudoso jornalista e tabelião Augusto Veiga. Os nossos desfiles começavam em frente à Fábrica de Ferraduras, passavam pela “Ponte do Jeremias”, na rua Dr.João Couto, davam uma parada em frente à Loja Americana, e depois seguiam em linha reta para a Rua Coronel José Dutra, onde ficava a passarela oficial.
Segundo Leacir Reis, eles sempre tiveram uma grande preocupação com os instrumentos, que, no início, eram feitos de forma artesanal, utilizando barricas de carbureto, couro de cabrito e outros materiais. Depois foram adquirindo instrumentos melhores e mais atualizados. Quanto à bateria sempre procuraram mantê-la bem afinada, “tanto é que ela ficou famosa”.
Escolas de Samba como manifestação cultural
“A maior manifestação cultural de São João Nepomuceno é o desfile das Escolas de Samba. Não tem nada de Cultura em São João tão…(   ) que agrega…(   ). É uma manifestação sócio-cultural-econômica e racial, que congrega todos os seguimentos da sociedade num desfile de Escolas de Samba. É o maior movimento cultural que temos aqui. Deveriam fazer um trabalho com as escolas, no intuito até de melhorar a estrutura para os próximos carnavais” afirma nosso convidado.

Homenagem

No carnaval de 2015 a agremiação à qual Leacir dos Santos Reis sempre se dedicou com todo o carinho e lealdade prestou-lhe uma bela homenagem por meio do enredo intitulado: “Leacir: vida, história e paixão que viraram enredo”.

Deixamos aqui registrado nosso reconhecimento ao amigo Leacir dos Santos Reis, popularmente conhecido como “Léo Batucada”, classificado por nós como o “guerreiro do samba” por sua luta em prol da sobrevivência das escolas de samba e blocos ainda existentes em nosso município, que tanto contribuíram e podem continuar contribuindo para o brilhantismo do nosso carnaval.
 
                    Por Nilson Magno Baptista

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.